Ikebana Sanguetsu

Mokiti Okada e o Belo

Por Itsuki Okada

Desejando estabelecer um mundo ideal de perfeita Verdade, o Mestre Mokiti Okada – patrono da Ikebana Sanguetsu – além de instituir uma religião, construiu os protótipos do Paraíso na Terra em Atami, Hakone e Kiyoto, colecionou obras de arte, construiu o Museu de Arte de Hakone, preconizou o método de Agricultura Natural, e, proporcionou muitas outras contribuições. Assim, dedicou sua vida à purificação e à elevação do espírito do homem.

O Mestre ensinou que o contato com obras artísticas de alto nível não apenas eleva o homem espiritualmente, mas também, lhe proporciona uma força geradora de felicidade. Dessa forma, valorizou a Arte e deu-lhe um grande incentivo, deleitando-se com ela em sua vida cotidiana. Nutria um profundo interesse inclusive pela ikebana, a arte de vivificar a flor. Com as próprias mãos, criava vivificações florais nos quartos, no “hall” de entrada e em outros aposentos de sua casa, alegrando o ambiente. Mokiti Okada pregava sempre a formação do paraíso por meio das flores, dizendo que estas têm o poder de debilitar os pensamentos negativos e que, por isso, era importante ornamentar com flores todos os locais onde se reunissem pessoas.

Ele nos ensinou o espírito com que devemos fazer as vivificações florais, fundamentado nos seguintes itens:

– A flor tem sentimento;

– Preservar a vitalidade da flor;

– Conservar o seu aspecto natural;

– Usar pouco material;

– Vivificar com alegria, como se estivéssemos pintando um quadro.

Com base nessa filosofia e no desejo de proporcionar maior encanto à vida, purificando o sentimento do homem e da sociedade por meio das flores, foi fundada a Ikebana Sanguetsu.

 

Campanha – “PARAÍSO POR MEIO DA FLOR”

 

A Ikebana Sanguetsu, instituída em 15 de junho de 1972, para promover a “Campanha de formação do paraíso por meio das flores”, conforme desejo do idealizador Mokiti Okada, completou 44 anos. Esse movimento, que se iniciou no Japão, está sendo desenvolvido em mais de 30 países, e o Brasil é o pioneiro no exterior.

Mokiti Okada vivificava, ele mesmo, a ikebana de cada cômodo de sua casa. Em suas orientações, ele disse: “Deve-se adornar com flores todos os cômodos de uma residência. O nosso objetivo é que haja flores em todos os locais, independentemente do nível social, para que possa ser apreciada por qualquer pessoa. Pode ser vivificada no canto do escritório, em cima da escrivaninha; nem é preciso dizer o quanto uma flor nos reanima e proporciona uma sensação agradável. ”

Na Ikebana Sanguetsu, essa orientação é colocada como diretriz para a “transformação do cotidiano em Verdade-Bem-Belo”. Incentivando o desenvolvimento da “Campanha de formação do paraíso por meio das flores”, propondo à sociedade, a prática da ikebana que almeja a felicidade do próximo.

A Ikebana Sanguetsu, buscando alcançar, procura polir a sensibilidade, esmerar a técnica e obedecer ao espírito de respeito à Natureza. Colocando o sentimento de cada um em forma de flor, ela deseja contribuir para o embelezamento da sociedade e enobrecimento do caráter humano.

O ideograma japonês “Ka” tem o mesmo sentido de “Hana” – Flor. Possui, ainda, outros significados que, de alguma forma, se associam à flor, como: desabrochar, luz, brilhar, formoso, belo, magnífico, maravilhoso.Quanto a “Do”, Mokiti Okada assim se referiu: “Do” é o mesmo que ‘miti’, ou seja, caminho. Não existe palavra tão significativa quanto ‘miti’. Pela ciência do espírito das palavras,’mi’ é água, matéria, e ‘ti’ é sangue, espírito; ‘mi’ também significa negativo, e ‘ti’, positivo.

(…) Caminho é o meio pelo qual todas as coisas se ligam. Os meios de transporte, as ondas elétricas, os raios luminosos, o deslocamento das pessoas de um lugar para outro, tudo depende do caminho.

Até o Sol, a Lua e as estrelas possuem uma órbita definida, isto é, um caminho. Sendo assim, o caminho é a base de todas as coisas e, consequentemente, podemos concluir como é errado desviar-se dele.” (…)

 

Saiba mais sobre a visão de Mokiti Okada em relação à importância da Ikebana

“Nosso objetivo é adornar com elas todos os lugares e classes sociais, colocando-as à vista de qualquer pessoa. No canto do escritório, em cima da escrivaninha, onde quer que seja, não é nem preciso dizer o quanto uma flor nos reanima e nos faz sentir um toque de pureza.

Se chegarmos ao ponto de existirem flores onde quer que haja pessoas, a força para tornar ameno este mundo infernal será bem grande.”

Mokiti Okada

 

Outras informações:

O nome Sanguetsu foi inspirado na casa de Cerimônia do Chá, construída por Mokiti Okada, na cidade de Hakone – Japão, chamada “Sanguetsu An”.

San significa Montanha

Guetsu significa Lua

An denominação para casa da Cerimônia de Chá.

Trata-se de uma referência à imagem da Lua erguendo-se atrás das montanhas.

Com base nessa filosofia, tem-se o desejo de proporcionar maior encanto à vida, purificando o sentimento do homem e da sociedade por meio das flores.