Representantes da CATI conhecem produção de sementes orgânicas do CPMO

Por Aline Pagliarini, MTB – 74428/SP | 1 de novembro de 2016

O setor de Pesquisa e Desenvolvimento de Sementes, do Centro de Pesquisa Mokiti Okada (CPMO), recebeu, em 18 de outubro, a visita do diretor e de três técnicos do Departamento de Sementes, Mudas e Matrizes da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), de Campinas (SP). Eles são componentes do Grupo de Trabalho (GT) de sementes orgânicas da instituição.

Na ocasião, foram apresentadas as atividades do CPMO e feita uma abordagem dos desafios da produção formal de sementes orgânicas no Brasil, desde o campo até o produtor.

Em 2014, as pesquisas do CPMO referentes à produção de sementes orgânicas resultaram na redução do uso de agrotóxicos e no tratamento de sementes convencionais da CATI. Com a utilização do mesmo tratamento aplicado em sementes orgânicas, os técnicos da CATI constataram a viabilidade de maior redução no uso de inseticidas de armazenamento das sementes convencionais.

CATI

A fim de ampliar a oferta de sementes orgânicas em São Paulo, a CATI pretende, em 2017, dar continuidade à produção formal de sementes orgânicas de milho grão AL Avaré e acrescentar a produção de sementes orgânicas de milho verde CATI Verde.

GT

O GT foi instituído pela Portaria DSMM nº 33, de 17 de agosto de 2016, com o objetivo de desenvolver a produção de sementes orgânicas pelo Estado de São Paulo. Uma das primeiras ações do grupo é conhecer iniciativas para a produção de sementes orgânicas que existem no Estado, como a visita feita ao CPMO.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa
Fundação Mokiti Okada
Jornalista: Aline Pagliarini
MTB – 74428/SP